city dawn dusk night

EMPREENDEDOR: ISSO PODE DIZER RESPEITO AO MOMENTO QUE VIVE

Isabel Dauer

Table of Contents

Aproveitando que ainda estamos vivendo as reflexões sobre as Olimpíadas, este ano, reconhecidamente, Olimpíadas da superação; Quantas vezes nós, empreendedores, temos que superar nossos obstáculos internos e os externos que balançam nossa autoconfiança, pra enfim chegarmos onde queremos. 

Assim como os atletas, temos um sonho, dirigimos nossos esforços para um objetivo, enfrentamos dificuldades durante anos, imprevistos, ficamos cansados, mas persistimos. De repente….. um tsunami de grandes proporções!!!  Desistimos?  Abandonamos tudo? 

Sejam então as dificuldades do mercado em que atuamos, a cobrança de taxas muitas vezes abusivas, a concorrência feroz, as burocracias que emperram, a mão de obra sem capacitação, o vai e vem da economia mundial e até essa pandemia que pegou a todos de surpresa.  

O que podemos aprender com as Olimpíadas

Em suma empreender é isso mesmo, é estar em constante oscilação.  E para vencer, são necessárias algumas soft skills valiosas como, resiliência, foco e determinação. Temos o suficiente? Temos todos os recursos, internos e externos que precisamos para ultrapassar os obstáculos para sermos empreendedores? 

Busca de apoio, arriscar na criatividade, superação e melhoria contínua. Temos que ter flexibilidade para contornar os obstáculos.  Flexibilidade inclusive com nós mesmos, para aceitar determinadas condições que algumas vezes não julgamos certas. Em outras palavras, precisamos ser menos exigentes e carrascos com a gente. 

Mesmo para empreendedores que já tenham todos os recursos, é necessário buscar outros desafios. O desenvolvimento é uma constante.  Trabalhamos: tolerância, aceitação, nesse caminho. Qual meu limite, como reconhecer essa limitação interna. 

Quando saímos da zona de conforto, automaticamente saímos em busca de novos caminhos  

Fácil não é, mas também não é impossível. Existem recursos não apenas financeiros, que podem facilitar o dia a dia de quem está entrando no mercado. 

Mais que isso, o autoconhecimento como fator preponderante para elaboração de estratégias, tomadas de decisões e trabalhar o medo que também faz parte de todo o processo de empreender para aproveitarmos toda a nossa capacidade. 

O emocional como diferencial competitivo no empreendedorismo 

Diante de todos os desafios naturais do mercado e da economia e da pandemia e o que virá após, e levando também em consideração que a tecnologia e modelo de negócios se equipararam no mundo, o que poderá ou não nos manter no jogo?  

Equilíbrio emocional.  Bem- estar. Saúde mental.  Saber a hora de startar esses recursos para que possamos seguir adiante ou, até mesmo, dar uma parada estratégica. 

Os empreendedores , assim como os atletas, têm que “treinar” constantemente, manter a atenção nas oportunidades e principalmente nas ameaças. Como se diz no Brasil – ter um olho no peixe e outro na frigideira. 

Vamos em frente! 

Gostaste? Partilha!