man raising his right arm

Ainda bem que não somos todos iguais…

José Oliveira

Table of Contents

Sabias que a resiliência e autovalorização são duas das características principais de um empreendedor?

Por imposição, mas também por algum interesse confesso, tenho investido grande parte do meu tempo recente, em autovalorização.

Independentemente de como pensa e funciona a concorrência, acredito que para estar na vanguarda somos obrigados a uma grande resiliência e principalmente uma forte vontade de aprender.

Assim, não me reconhecem como um vendedor standard e está tudo bem.

O exemplo de Phelps

Recentemente vi um vídeo sobre Michael Phelps, as suas lutas pessoais, os treinos e os seus sacrifícios pessoais ao longo dos anos. Foi então com admiração, que me apercebi como ao fim de 5 anos, conseguiu ter mais um ano de treino que todos os outros atletas. Como? Porque abdicou dos feriados e fins de semana.

Não me quero comparar, para além que sou um péssimo atleta, mas as vitórias são importantes quando temos com quem partilhar. O conhecimento apenas é válido, quando é transmitido, reproduzido e melhorado.

Como dar mais Valor nos produtos e serviços a oferecer aos meus clientes e amigos, seleção intransigente das melhores e mais recentes práticas comerciais e éticas do mercado. Estes são assim valores de trabalho que não abdico.

Autossuperação e resiliência

Certamente, existem excelentes exemplos de autossuperação, resiliência, vontade de melhorar, olhar para o copo meio cheio, inovação, empreendorismo.

Empresas que antes vendiam sapatos para ballet e agora alcançam sucesso vendendo máscaras de proteção individual. Fabricantes de perfumaria e cosmética que passaram a produzir álcool para hospitais. Stands de automóveis que passaram a fazer vídeos promocionais pelo Facebook inovando com a história por trás do automóvel. Empresas que reutilizaram stocks para implementar novas coleções de moda. Nota: são tudo exemplos portugueses.

Os exemplos positivos são portanto admiráveis e felizmente basta estarmos atentos.

Se nos focamos no que está menos bem, tenho uma notícia triste: não vão faltar exemplos para falar mal.

Se queremos melhorar, dar a volta por cima, superação, basta olhar à volta.

Steve Jobs disse que “nunca serás criticado por alguém que esteja a fazer mais do que tu, só serás criticado por alguém que esteja a fazer menos do que tu”.

Está no meio da tempestade e confunde-se com a avestruz que esconde a cabeça, ou aproveita a brisa e deixa-se levar por ela para criar algo superior?

Tem a solução, mas não sabe a pergunta? É um felizardo!

Esperar resultados sem alterar métodos, bem… está a viver o fim do filme…

Não está bem, mas está perdido? Excelente, sabe que está no momento de sair da sua zona de conforto: mexa-se!

Ter chegado ao fim deste artigo, é um bom princípio. A melhor continuação, é assinar a nossa newsletter e entrar em contacto comigo.

Gostaste? Partilha!